terça-feira, 2 de agosto de 2011

A ilusão do gorila invisível e como nossa atenção pode nos cegar

A ilusão do gorila invisível e como nossa atenção pode nos cegarVocê já ouviu falar da ilusão do gorila invisível? Ainda não? Então veja este vídeo antes de continuar sua leitura.

Você terá que contar quantas vezes a equipe de uniforme branco passa a bola. Os movimentos são rápidos, então preste bastante atenção!

Se você foi surpreendido, não se assuste. Um estudo brasileiro mostrou que em torno de 80% das pessoas não percebem o elemento estranho no vídeo.

Esse é um exemplo de como funciona nossa atenção seletiva, concentrando apenas nas informações que estão em nosso foco, o que nos permite processar com maior riqueza de detalhes um evento. Mas, por outro lado, suprime uma série de outros detalhes que não são relevantes no momento. No caso desse exemplo, essa falha ao notar um objeto totalmente visível, porém inesperado, porque a atenção está engajada em outra tarefa, evento ou objeto é chamada de cegueira por desatenção.

O fenômeno de cegueira por desatenção tem muitas implicações cotidianas. Por exemplo, em ocorrências de acidentes automobilísticos frequentemente os motoristas relatam que “olharam mas não notaram” o outro veículo. Muitas colisões entre carros e bicicletas envolvem um carro virando na frente de uma bicicleta que está passando, com o motorista do carro não percebendo a bicicleta vindo em sua direção. Considerando que bicicletas no trânsito são muito menos comuns que carros, a cegueira por desatenção tem maior chance de ocorrer.

Pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, utilizaram esse mesmo vídeo para investigar se a cegueira por desatenção poderia estar relacionada à memória de trabalho, o tipo de memória de curto prazo utilizada para lembrar-se das coisas que estamos lidando no momento.

Uma questão fundamental no estudo era saber se as pessoas com alta capacidade de memória de trabalho são menos propensas a visualizarem uma distração porque se concentram muito na tarefa momentânea ou se elas são mais propensas a visualizarem uma distração porque são mais capazes de mudar sua atenção quando necessário.

Após aplicarem testes para medir a memória de trabalho dos participantes e os submeterem a assistirem o vídeo, os pesquisadores concluíram que os participantes com maior capacidade de memória de trabalho eram praticamente duas vezes mais propensos a notarem o gorila do que os com baixa capacidade de memória de trabalho: 67% contra 36%. Pode-se dizer que as pessoas que conseguiram ver o gorila são melhores em focar sua atenção, ou seja, possuem uma atenção mais flexível, o que os torna melhor em serem multitarefas.

Agora que você já conhece o vídeo original, experimente ver essa a nova versão lançada no ano passado e você comprovará como é muito mais fácil para nosso cérebro enxergar apenas aquilo que esperamos ver. Você também terá que contar quantas vezes a equipe de uniforme branco passa a bola.

Como você já havia visto o primeiro vídeo, é muito provável que você tenha notado o gorila, mas você também notou a cortina mudando de cor e uma pessoa da equipe de preto saindo do jogo?

Se você teve dificuldade par ver o elemento estranho nos dois vídeos, não se preocupe. A sua memória de trabalho pode ser melhorada, basta exercitá-la. Experimente os jogos de memória e de atenção do Cérebro Melhor e comece já o seu treinamento.

Comentários

Os comentários foram desativados para esta postagem.